Direitos fundamentais das crianças atendidas em creches e berçários - Parte 2


Toda criança têm direito à atenção individual



• Chamamos sempre as crianças por seu nome;
• Observamos as crianças com atenção para conhecermos melhor cada uma delas;
• O diálogo aberto e contínuo com os pais nos ajuda a responder às necessidades individuais da criança;
• A criança é ouvida;
• Sempre procuramos saber o motivo da tristeza ou do choro das crianças;
• Saudamos e nos despedimos individualmente das crianças na chegada e saída da creche;
• Conversamos e somos carinhosos com as crianças no momento da troca de fraldas e do banho;
• Comemoramos os aniversários de nossas crianças;
• Crianças muito quietas, retraídas, com o olhar parado, motivam nossa atenção especial;
• Aprendemos a lidar com crianças mais agitadas e ativas sem discriminá-las ou puni-las;
• Aprendemos a lidar com preferências individuais das crianças por alimentos;
• Ficamos atentos à adequação de roupas e calçados das crianças nas diversas situações;
• Damos suporte às crianças que têm dificuldades para se integrar nas brincadeiras dos grupos;
• Procuramos respeitar as variações de humor das crianças;
• Procuramos respeitar o ritmo fisiológico da criança: no sono, nas evacuações, nas sensações de frio e calor;
• Crianças com dificuldades especiais recebem apoio para participar das atividades e brincar com os colegas;
• Nossas crianças têm direito a momentos de privacidade e quietude;
• Evitamos usar e que as crianças usem apelidos que discriminem outras crianças;
• Procuramos analisar porque uma criança não está bem e encaminhá-la à orientação especializada quando necessário.

Em Critérios para a unidade creche
Por Maria Malta Campos

1 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por comentar! Dicas, sugestões, perguntas serão bem vindas. Responderei seu recadinho aqui mesmo.
Se desejar uma resposta por E-mail envie o comentário para fliver5@gmail.com
Lembre-se que você é muito especial para Deus.
Beijos