2/25/2011

Rotina de Atividades: Maternal



Fonte:http://www.casadejoaodebarro.com.br/index.php/atividades-bercario

Esse site e maravilhoso, vale a pena conferir


Segue abaixo programação de atividades do Berçário, com respectivos objetivos:
(a) Aprend.Ativa (Exploração PSM/Vida prática)
(b) Linguagem
(c) Exp. e representação
(d) Raciocínio lógico e relação espacial


Segunda
(a) Folhear livros (capa dura/plástico ou pano) e revistas
(b) Ouvir pequenas histórias (livros e gravuras)
(b) Música com gestos
(b) Brincar com a língua, barulhos, repetição de sílabas/onomatopéias
(c) Trabalhar com os sentidos: visão (esconder e encontrar objetos)
(c) Uso do espelho: ver a si e ao outro
(d) Trabalhar quantidade: muito/pouco, cheio/vazio, mais/menos


Terça
(a) Tinta caseira
(b) Cartões de linguagem
(b) Mísica com gestos
(c) Trabalhar com os sentidos: Tato (textura, peso, temperatura)
(d) Trabalhar com semelhanças e diferenças
(d) Comparar objetos quanto a forma, tamanho e cor
(d) Dobrar e amassar papéis (modificar formas dos objetos)


Quarta
(a) Rasgar e amassar papéis (texturas variadas)
(b) Observar fotos e revistas (identificar objetos, pessoas e lugares)
(b) Música com gestos
(c) Trabalhar com os sentidos: Olfato
(c) Trabalhar partes do corpo
(d) Separar objetos em caixas/classificação (ajudar a arrumar)
(d) Realizar ativ. que explorem: perto/longe (c/ o corpo, gravuras, fotos)


Quinta
(a) Brincar com sucata
(b) História com fantoches
(b) Música com gestos
(c) Trabalhar com os sentidos: Audição (sons prodizidos com objetos e o corpo)
(d) Jogos de encaixe
(d) Guardar objetos em diferentes tamanhos de caixas
(d) Realizar ativ. que explorem: junto/separado (c/ o corpo, gravuras, fotos)


Sexta
(a) Massinha caseira
(b) Cartões de linguagem
(b) Fazer ruídos com a boca (beijo, som do índio, estalar língua...)
(b) Música com gestos
(c) Trabalhar com os sentidos: (paladar)
(c) Brincar de faz de conta: panelinha, carrinho, boneca, telefone...)
(d) Empilhar objetos (até 3 objetos)
(d) Realizar ativ. que explorem: por cima/por baixo (c/ o corpo, gravuras, fotos)

Dia Internacional da Mulher - Projeto Pedagógico


                                                                                                                                                                    
·        Preparar o Cantinho do Jogo simbólico com vários materiais utilizados pela mamãe: roupas femininas, sapatos e bolsas, maquiagem; vassoura, panelas e fogão de brinquedo; computador de brinquedo, papéis e revistas, livros etc.
·        Em roda de conversa o professor motivará aos alunos dizendo que para comemorar o Dia da Mulher, irão pensar nas diferentes atividades que as mulheres fazem.
·        Deixar que os alunos se expressem livremente, contando aos demais sobre a profissão de suas mães e de outras mulheres que vivem com eles. Ampliar a conversa chamando a atenção para as diversas profissões em que as mulheres atuam: médicas, professoras, motoristas, secretárias, desenhistas, domésticas, cozinheiras, cabeleireiras, dentistas etc. Salientar que todas as profissões são importantes e fazem diferença na sociedade, além de estarem relacionadas entre si.
·        Em seguida, propor que brinquem livremente no Cantinho.
·        Propor um jogo de mímica, em que um aluno imita a mamãe para que os demais adivinhem o que ela está realizando. Garantir a participação de todos.
·        Finalizar a atividade propondo um Mural com o registro coletivo das muitas profissões femininas por meio de desenhos, colagens ou escrita espontânea dos alunos. O professor também poderá ser o escriba.

COMO SURGIU O DIA INTERNACIONAL DA MULHER?

Durante o Congresso Internacional de Mulheres, realizado em 1919, na cidade de Copenhague, Dinamarca, essa data foi escolhida e oficializada como o dia ideal para o Dia Internacional da Mulher em homenagem ao assassínio de 129 mulheres, que foram queimadas em resposta a uma greve realizada na fábrica têxtil Cotton, em Nova York, em 8 de março de 1857.

O motivo da greve era um protesto contra uma jornada diária de 16 horas de trabalho, aliada a baixos salários. Como resposta à manifestação, os patrões ordenaram que fosse ateado fogo no prédio onde essas mulheres se encontravam


2/14/2011

Apostila de Artes para Educaçaõ Infantil

No meu Google docs

https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=explorer&chrome=true&srcid=0Bx-D57pzU74VMzE0ZTNmYTktZGJjMi00YzhmLTg5NGMtZWNmZTI3NTZhMzU1&hl=pt_BR
2/11/2011

Atividade Nome

2/10/2011

Projeto: Quem sou eu?

Quem sou eu?


Duração: 2 meses
Período: Março
Público Alvo: Alunos da Educação Infantil

 Desenvolvimento
  • Sentados de forma confortável, em círculo, provocar os alunos para que observem seus próprios corpos e façam comparações: E assim propor que se agrupem de diferentes formas:

Exemplo: “Vamos juntar todas as crianças que tem cabelo bem curtinho do lado esquerdo em pé e todas as crianças que tem cabelos compridos do lado direito sentadas”. Assim, o professor pode ir brincando, criando diferentes situações de acordo com a sua turma, sempre tendo como objetivo que façam comparações a partir das diferenças e semelhanças existentes no próprio corpo e no corpo dos amigos.
  • Num segundo momento, que pode ser no mesmo dia ou não, o professor vai entregar uma entrevista para que os alunos relacionem suas características e preferências.

Importante:
Chegando nesta etapa o professor deverá iniciar um trabalho criando uma identidade entre a criança e a escrita de seu nome.
        
Sugestões de Atividades Práticas:
1 – História do nome.
     
Objetivo: Conhecer a origem do seu nome.
Material: Folhas de papel ofício.
Procedimento:
  • Propor às crianças que façam uma entrevista com os seus pais, procurando saber qual a origem dos seus nomes.

Montar com os alunos uma ficha para auxiliá-los na entrevista, incluindo perguntas tais como:   - Quem escolheu meu nome?   -  Por que me chamo .....?  O que significa ..... ?
Sugestão de Atividade: Contar a história do seu nome aprendida com a entrevista e ilustrá-la.

Idéia:
Com o trabalho da História do nome de cada aluno é interessante que sejam pesquisados os diferentes significados dos nomes de cada um e seja montado um mural com os mesmos: ilustrações feitas pelas crianças, a forma que sabem escrever o nome, o desenho de seu nome, seu auto-retrato, fotos das crianças – Este fica a critério do interesse e da criatividade do professor. É um tema rico, importante e que, certamente, encantará aos responsáveis e a toda equipe da escola exposto num belo mural.


2 – Fichário:
Objetivo: Conhecer a escrita do seu nome com diferentes formas gráficas.
Material Necessário: Fichas do mesmo tamanho e formato e uma caixa de sapatos.
Procedimentos: Montar na sala de aula um fichário com cartões que apresentem diferentes formas de escrita do nome próprio: Com letra de imprensa maiúscula, letra de imprensa minúscula, letra cursiva. Deixando claro à criança que existem diferentes maneiras para escrever o seu nome, mas todas querem dizer a mesma coisa.
Combinar com a turma o momento e o modo como deverão utilizar as fichas. (De acordo com o professor) – Pode ter em cada ficha uma foto 3x4 da criança.
Sugestão de Atividades: Identificar o nome – Escrever o nome.

3 – Lista de Palavras:
Objetivo: Identificar em diferentes palavras a letra inicial do seu nome.
Materiais: Tesoura, Revistas, Jornais, Folhetos, Cola, Folhas de ofício.
Procedimentos:
·        Explorar com  a classe a letra inicial do nome.
·        Listar outras palavras que também iniciem com aquela letra.
·        Propor que pesquisem em jornais, revistas e folhetos outras palavras que também iniciem com a letra do seu nome.
·        Recortar e colar as palavras em folhas de ofício.
·        Ler com a turma as palavras encontradas e juntos procurar o significado.
Sugestão de Avaliação: Reconhecer, em lista de palavras, aquelas com a letra que inicia o seu nome.
Observações: O professor pode propor à turma que cada dia um traga de casa uma palavra que inicie com a letra do seu nome e em aula encontrem o significado. Este tipo de atividade desperta no aluno um interesse maior pela pesquisa e aumento do vocabulário.

4 – Letras Móveis:
Objetivo: Conhecer as letras e escrever seu nome através de brincadeira.
Material: Letras móveis que podem ser de madeira, EVA, papelão e etc...
Procedimentos:
·        Deixar expostas na sala as letras para haver um contato maior por parte das crianças com o material.
·        Propor que, em diferentes momentos de aula, as crianças utilizem as letras para a tentativa da escrita de seus nomes.
Sugestão de Avaliação: Escrever seu nome numa brincadeira.

5 – Bingo:
Objetivo: Conhecer as letras que compõem a escrita de seu nome através do jogo.
Materiais: Cartelas de cartolina ou papelão; tampinhas de garrafa ou pedrinhas para marcar as letras; folhas de desenho; fichinhas com as letras dos nomes; cola; papel colorido (para fazer bolinhas de papel) ou palitos de fósforo usados.
Observação: É interessante que se repita o jogo várias vezes no decorrer das atividades antes de se propor o relatório.

6 – Corrida dos Balões:
Objetivo: Escrever seu nome.
Materiais: Balões numerados, fichas com número de acordo com os balões e com nomes e giz.
Procedimentos:
·        Formar as crianças em duas filas.
·        Distribuir uma ficha com um número para cada criança.
·        Dado o sinal, uma de cada vez corre até os balões e estoura aquele que tiver o seu número. Dentro estará uma ficha escrito o seu nome.
·        A criança deverá ler alto seu nome e reproduzi-lo no chão utilizando o giz.
                                       

                                                      ***** *************

  • Através de uma conversa informal o professor deve pedir que cada aluno fale um pouco sobre seu dia-a-dia. É importante deixar que as crianças se expressem livremente contando casos vividos em casa, em passeios, com a família etc.
  • Num segundo momento oferecer uma folha em branco, revistas diversas, ilustrações diversas, e propor q façam uma montagem de recorte e colagem de tudo que encontrarem que parece com o seu dia-a-dia, com a sua vida, a sua realidade.
  • Realizado a trabalho o professor junta para também adicionar ao Álbum da Vida – colocando por escrito além do nome da criança qual foi a proposta da montagem de recorte e colagem.
  • No Álbum da Vida podem ser adicionadas: fotos das crianças em diferentes momentos: no banho, brincando, na escola, dormindo, comendo... Como, também, pode ser utilizada um técnica artística de pintura, cola colorida ou outra para a capa, que deve ser de papel mais resistente – cartão no caso – com o título: Álbum da vida – ali todos os trabalhos sistematizados serão acoplados e deverão ser encadernados ou presos com bailarinas, grampos, etc.
  • Música: A canou virou

·        Caso haja algum nome de aluno na turma que exista uma música conhecida, esta também pode ser ouvida – não esquecendo de levantar a questão: Quando duas ou mais pessoas tem os nomes iguais, os mesmos nomes, como fazemos para identificá-las?  Exemplo: Esta música foi feita a Luciana que faz parte de nossa classe ou para outra menina chamada Luciana?

Fases do desenho Infantil

Garatuja desordenada

  • Primeiro contato da criança com o lápis e o papel;
  • Desenha pelo prazer do movimento;
  • Aparece com o traço leve, pois não há controle motor dos movimentos;
  • Variam as formas de segurar o lápis;
  • A criança não faz ligação do olho com a mão;
  • Não há representação no desenho.
Garatuja ordenada
(Longitudinal)

  • Coordena sua atividade visual e motora (explora o sentido longitudinal do papel);
  • Ainda não há intenção representativa;
  • Os traços são mais fortes;
  • Relação espacial delimitada;
  • Apropriação dos instrumentos que usa (papel, giz de cera etc.).

Garatuja ordenada
(Circular)

  • Conquista do movimento circular;
  • Início de uma representatividade, com o que marcou no papel associando, seu desenho a uma imagem mental;
  • Embrião da conquista da forma.
Garatuja nominada
(Mescla)

  • Pode ocorrer a mistura de uma etapa com outra ou todas ao mesmo tempo;
  • Saída do pensamento motor para o pensamento representativo;
  • A linguagem motora está ligada com a linguagem oral;
  • A criança conta a história do desenho através de frases.

Pré esquema
1ª fase     

  • Confundido com a garatuja circular;
  • A ocupação do espaço não obedece a nenhuma regra (sem linha de base, solto);
  • Cor ainda arbitrária (uma só cor);
  • Desenha o que sabe do objeto, mas não o que vê;
  • Lembra formas geométricas.

Pré esquema
2ª fase
  • Perde-se a relação com os movimentos corporais; "O olho que no começo segue a mão, passa a guiá-la";
  • Início de uma preocupação coma ocupação do espaço (ainda sem linha de base);
  • Ainda cor arbitrária (preocupação com a diversidade);
  • Forma mais estruturada;
  • Procura símbolos que representem o ambiente.

Pré esquema
3ª fase

  • Começa a estruturar o seu desenho como linguagem (bonecos, flores, girinos, sol, etc);
  • Encontra-se no período pré-operatório (4 a 6/7 anos);
  • Os símbolos estão relacionados com a criança que é o centro do universo;
  • Preocupação com a linha de base.


Esquema 1

  • Preocupação em localizar as formas no espaço relacionando-as;
  • As formas começam a se organizar sobre a linha;
  • Usa o limite da folha como limite de base;
  • A forma desce, cresce e o desafio e preenchê-lo.


Esquema 2

  • Preocupação com a colocação de linha de base nos desenhos (a linha de base parece ser uma indicação de que a criança se apercebeu das relações existentes entre ela própria e o seu meio "Lowenfeld");
  • Representação do tempo e do espaço (encontramos episódios diferentes representados por imagens não semelhantes numa unica sequência de desenho);
  • Faz desenho do tipo Raio X ou transparentes;
  • Preocupação em começar seu desenho pelo chão delimitando também o céu, a forma cresce e é totalmente preenchida.


Esquema 3

  • Desenha com um misto de plano e elevação;
  • As duas linhas, céu e base não se relacionam diretamente;
  • Representação da casa com o plano lateral e outro frontal, em alinhamentos diferentes e conjugados;
  • Como num jogo de equilíbrio, as formas e todas  as espécies de sinais são trabalhadas.

Início do Realismo

  • A criança chega ao início do realismo, quando ultrapassa a frustração do enfrentamento com o real;
  • A forma e o fundo são conquistados, havendo um apuramento da decoração com riqueza de detalhes;
  • Aparece embrionariamente perspectivas no desenho;
  • Acentua-se a necessidade de trabalho em grupo e da diversificação de técnicas. 
2/07/2011

Atividades para bebês: 4 a 18 meses



•    Colocar uma criança num cesto e empurrar;
•    Estimular a criança a sentar-se, levantar-se e andar;
•    Brincar com bolas;
•    Estímulos visuais e auditivos (mobiles, sons, música, etc.);
•    Cantar e mimar;
•    Lenga-lengas
•    Fantoches feitos com os próprios dedos;
•    Amassar papéis;
•    Fazer sessões de movimento;
•    Brincar e explorar blocos de espuma forrados;
•    Colocar uma criança em cima de uma bola;
•    Rolar sobre almofadas;
•    Passear;
•    Canções com gestos;
•    Apresentação de figuras de cartão plastificado;
•    Caixas de música (com garrafas de plástico e boiões de iogurte);
•    Garrafas de água com bolas coloridas lá dentro;
•    Livros cartonados com imagens;
•    Jogos de encaixe;
•    Jogar ao “esconde esconde”;
•    Brincar com balões;
•    Imitar animais a nível vocal e de movimento;
•    Caixotes de cartão para entrar dentro;
•    Caixas pequenas para porem coisas lá dentro;
•    Jogo com bolas de pano, plástico e borracha;
•    Audição de gravações;
•    Bolas de sabão (feitas pelo Educador).
2/02/2011

Dia do Livro - Lembrancinhas


Organização da Sala de aula

Organização da Sala de Aula

Texto de Ivanise Meyer
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

A organização da sala de aula revela nossa maneira de pensar Educação.
Porém, pode acontecer que a organização seja padronizada pela escola, ou simplesmente existir pouca possibilidade de modificar o espaço por vários motivos...
No meu livro Brincar & Viver eu conto a minha história como professora de Educação Infantil e de como modifiquei o espaço da sala de aula para receber as crianças dessa faixa etária.
A arrumação da sala depende da professora, mas a manutenção da mesma deve ser compartilhada com as crianças: arrumar os brinquedos e livros, limpar o que sujar, são atitudes de cuidado com a sala.
A limpeza e higienização do ambiente deverá ser realizada pelo profissional responsável na escola.
Deixarei aqui no Baú de Ideias algumas sugestões para deixar sua sala mais aconchegante, alegre, dinâmica e organizada.
É importante ter um espaço para a "roda de conversas". As crianças devem sentar ao redor da educadora de forma confortável. Se necessário, pode-se forrar o chão com esteiras ou tapetes laváveis.
A "roda de conversas" também pode acontecer em outros espaços da escola como em um pátio, parque ou debaixo de uma árvore (quintal). O importante é garantir que a turma possa estar com a educadora sem "interrupções" externas.

Lemos para as crianças todos os dias!
Cada dia podemos ter um tipo de texto: um poema, uma história, uma parlenda, um trava-língua, um capítulo de uma história, uma informação sobre um animal...
É importante ler para a criança, pois o professor será seu modelo de leitor.
Essa leitura precisa ser planejada (escolha o livro, o tema, verifique se precisará de algum objeto ou música para enriquecer a leitura), o espaço poderá ser o mesmo da "roda de conversas", ou fora da sala (no pátio, debaixo de uma árvore, na sala de leitura ou biblioteca escolar).
Quantas mesas haverá na sala?
As mesas podem ser usadas como "cantinhos" (cantos) para: jogos pedagógicos, modelagem, colagem, desenho e brinquedos que necessitem do apoio da mesa.
As mesas também são usadas para atividades de escrita. Geralmente, o número de mesas equivale ao número de alunos na sala.
No trabalho diversificado, pode-se diminuir o número de mesas, pois nem todos estarão sentados fazendo uma mesma atividade.
O cantinho de leitura é um espaço importantíssimo na sala de aula.
Onde as crianças encontrarão variados materiais de leitura: livros, revistas, gibis, jornais, livros de receitas, atlas, dicionários, etc.
As crianças aprendem a manusear o material (escolher o material, ler e devolver no mesmo lugar), a ter cuidado o material (não amassar, rasgar ou rabiscar) ampliando sua autonomia.
Importante: não deixe lápis (ou material para escrever) neste espaço.
Um cantinho para as artes é fundamental!
Um dos espaços da sala  pode ser reservado para as Artes Plásticas:
desenho, pintura, modelagem e colagem.
Este é um espaço que precisa da organização pela professora (manter os materiais necessários) e das crianças (aprendem a manusear os materiais para suas produções).
A limpeza posterior deve ser compartilhada com as crianças.
Um dos cantinhos preferidos das crianças da Educação Infantil é o da dramatização: a "casinha" ou "casa de bonecas", no qual elas vivem os papéis familiares e constroem relações com os colegas da turma.
Para organizar esse espaço você pode dispor de móveis e utensílios em tamanho reduzido, bonecas diversas (de plástico, de tecido) e outros brinquedos.

cantinho de Ciências pode ser montado com experimentos de acordo com o projeto desenvolvido.
Livros de assuntos estudados também podem ficar neste canto.
Já montei aquário na sala várias vezes, as crianças adoram observar os peixinhos!
Também podemos montar terrários.

Caso haja espaço na sala, pode existir um espaço para brincadeiras no chão: carrinhos, construção, etc.
Um quadro-de-giz (ou quadro-branco) será um espaço para registros provisórios, pois serão apagados no final da aula. O que necessitar ficar exposto (ou guardado) deverá ser registrado em cartaz ou "blocão".
Eu uso para registrar a data do dia, escrever o planejamento diário, produzir textos com as crianças, escrever seus nomes (listas), ou seja, quando escrever seja uma forma de comunicar algo importante para a turma.
O que encontraremos nas paredes?
O que mereça ser registrado e ser lido pelas crianças.
  • Mural: é um quadro preso à parede. Nele podemos organizar os trabalhos das crianças, ou enfeitar de acordo com o projeto desenvolvido. O mural é um espaço que deve ser modificado periodicamente.
  • Cartaz: ele comunica algo que esteja sendo estudado, deverá ficar na altura dos olhos das crianças. Os cartazes podem compor um "blocão", organizando as folhas de forma que fiquem presas na parte superior.
  • Calendário: pode-se trabalhar com calendário semanal, mensal e anual. Ao utilizar o calendário com a criança, ela percebe a sequência dos dias, semanas, meses e a passagem de tempo ao longo de um ano.
  • Aniversariantes: pode ser um cartaz com todos os aniversariantes, ou mensal. Também pode estar organizado no mural.
  • Combinados: são as regras de convivência da turma. Gosto de imprimir e deixar em local que possa ser consultado pelas crianças e por mim quando há necessidade de "relembrar".
  • Alfabetário: são as letras do alfabeto organizadas, geralmente, na horizontal para facilitar a leitura. É um importante material de apoio.
  • Faixa numérica: são os numerais de 0 a 9; o número está associado à quantidade (elementos). Também é um material para consulta.
  • Dependendo do projeto, pode-se pendurar pela parede: mapas, cartazes do corpo humano, ou sobre temas específicos (animais, plantas, etc).
  • espelho serve para atividades especifícas ou mesmo para que se vejam. As crianças adoram um espelho!
  • O cartaz de boas vindas do início do ano pode ser renovado a cada período, como novos temas.
Muitas escolas contam com a televisão nas sala de aula.
O programa escolhido deverá fazer parte do planejamento.
Há boas propostas que podem ser aproveitadas pela Educação Infantil:
Cocoricó, Sítio do Pica-pau Amarelo, Turma da Mônica, Vila Sésamo, Barney, Baby Einstein, entre outras. Além de filmes e desenhos de animação que divertem as crianças.
Lembre-se: assistir um programa pela televisão não é apenas um "preenchimento de tempo", mas deverá ter um objetivo dentro de planejamento da professora.

Muitas escolas já contam com a informática na Educação Infantil.
Em geral, são utilizados softwares com jogos educativos ou navegação na internet com o mesmo fim.
As atividades desenvolvidas também devem ser planejadas pela professora.

Saindo da sala, as crianças deverão contar com espaço para brincadeiras ao ar livre.
Se chover, mude a organização das mesas,
crie mais espaço em sua sala e faça brincadeiras bem divertidas!

O professor pode tornar sua
"sala do tamanho do mundo"!